Generalidades

Generalidades
28 de janeiro de 2010 AlexKB

A pele do homem é um órgão externo que reveste e delimita o organismo protegendo-o através das inúmeras funções de relação com o meio exterior e corresponde a 15% do seu peso corporal.

A pele apresenta diversas funções como:

  • Termoregulação – manutenção da temperatura corpórea constante
  • Eliminação de excretas
  • Sensorial – presença de terminações nervosas
  • Proteção – presença do manto hidrolipídico
  • Imunologia -presença de anticorpos
  • Renovação e reparação – divisão celular

    Origem Embriológica da Pele

    A pele origina-se da ectoderme e mesoderme. As estruturas epiteliais como epiderme, glândulas, pêlos e unhas e estruturas neurais como melanócitos e nervos tem origem na ectoderme. A derme e a hipoderme derivam da mesoderme.
    Um embrião com cinco ou seis semanas já apresenta epiderme que é formada por uma única camada de células ocorrendo com o passar do tempo a sua multiplicação que ao final de seis meses já está praticamente terminada. A partir de 3o ou 4o mês, originam-se os primeiros folículos, as glândulas sebáceas, apócrinas e écrinas.
    As unhas surgem no 2o mês e os melanoblastos (melanócitos jovens) aparecem em torno do 3o mês. No 3o mês de vida também surgem as primeiras fibras que são reticulares e que depois se transformam em feixes de fibras colágenas. Posteriormente, as fibras elásticas surgem a partir dos fibroblastos. A partir do 5o mês de vida intra-uterina começa a ser formada a hipoderme que dará origem às células ricas em conteúdo lipídico chamadas adipócitos. Os vasos sangüíneos surgem em torno do 3o mês de vida intra-uterina sob o aspecto de capilares e diferenciam-se posteriormente em artérias e veias. A partir de 5a semana de vida originam-se as estruturas nervosas que só a partir do 4o mês de vida são transformados em nervos.

    Estrutura da Pele

    A pele apresenta basicamente três camadas de fora para dentro que são: epiderme, derme e hipoderme.

    Epiderme

    É composta pelo tecido epitelial estratificado córneo. Em sua estrutura estão presentes o sistema queratínico (produção de células com queratina) e seus anexos (pêlos, unhas e glândulas), os melanócitos, as células de Langerhans, etc. É subdividida em 5 camadas:

    1. Camada Basal: é a região onde estão as células jovens e que vivem em multiplicação constante
    2. Camada Espinhosa: é a camada onde são encontradas as células poligonais de Malpighi que são numerosas e já apresentam pequenas quantidades de queratina
    3. Camada Granulosa: apresenta diversas células achatadas com grande quantidade de grânulos de queratina
    4. Camada Lúcida: onde estão células anucleadas, achatadas e ricas em queratina
    5. Camada Córnea: é constituída por lâminas superpostas de queratina cuja espessura varia com a região do corpo sendo mais espessa nas regiões palmoplantares.

    É a camada morta da epiderme que tem função protetora contra as agressões do meio ambiente como físicas, químicas e biológicas. Entre a epiderme e a derme estão as papilas dérmicas que atuam para manter a coesão entre estas duas camadas. Também observamos a presença da membrana basal que serve como suporte mecânico, promovendo adesão, crescimento, diferenciação e migração das células basais e ainda atuar como filtro semipermeável para as trocas necessárias entre as células da derme e da epiderme.
    A renovação constante da epiderme é feita pelas células basais que se dividem freqüentemente. A renovação completa desde a divisão da célula basal até a eliminação das lâminas córneas faz-se em 59 a 75 dias.
    Além do sistema queratínico existe ainda o sistema melanócito. Ao melanócitos são as células produtoras de pigmento da pele, localizam-se a nível da camada basal na proporção de 1 melanócito para 10 queratinócitos basais. O número de melanócitos varia de acordo com a raça e com a região corporal. O melanócito sintetiza o pigmento melanossoma que é ativado pela ação da luz solar. Este pigmento é injetado nas demais células da pele como um elemento de defesa que é responsável pelo bronzeamento. Este processo se inicia devido à ativação de uma substância chamada tirocinasse que sob a ação da luz solar começa a ser sintetizada e desencadeia a formação do melanossoma.
    As células de Langerhans existentes na epiderme e derme em número aproximado ao dos melanócitos tem a função de fagocitar e, portanto, tem grande importância imunológica. Estas células tem grande participação na alergia de contato e processos patológicos como micoses e fungos.

    Anexos da Epiderme

    Podemos destacar como anexos da epiderme o folículo pilossebáceo, a glândula sudorípara e a unha. O folículo pilossebáceo é composto de pêlo, glândula sebácea e o músculo eretor do pêlo que tem estrutura muscular. Os folículos pilossebáceos existem em toda a pele, exceto nas regiões palmoplantares. Os pêlos são de dois tipos fundamentais: o fino (velo) e o espesso (barba, couro cabeludo). Os folículos pilossebáceos apresentam variações regionais, ou seja, no couro cabeludo os pêlos são mais grossos com glândulas sebáceas menores, enquanto que na face há predomínio dos velos com glândulas sebáceas bem desenvolvidas.
    As glândulas sebáceas são mais estimuladas e desenvolvidas na puberdade devido à ação dos hormônios andrógenos. As unhas são lâminas de queratina que recobrem as últimas falanges e originam-se na matriz ungueal. Crescem de modo contínuo e atuam como elemento de proteção às pontas dos dedos. As glândulas sudoríparas são de dois tipos: apócrinas e écrinas. As apócrinas desembocam diretamente nos folículos pilo-sebáceos e secretam um líquido leitoso constituído basicamente por substâncias protéicas, lipídicas e glicídicas. O odor que observamos nas regiões onde estão presentes estas glândulas (axilas, genitais, anal, etc.) é produto da decomposição da secreção à ação das enzimas bacterianas. As glândulas do tipo écrinas são encontradas nas regiões palmoplantares, porém, estão presentes em toda a extensão da pele. Tem forma tubular e desembocam diretamente na epiderme liberando sua secreção.

    Derme

    É a camada que vem abaixo da epiderme e acima da hipoderme sendo formada de substância fundamental, fibras, vasos e nervos além dos folículos pilo-sebáceos e das glândulas sudoríparas. A derme tem três camadas distintas que são:

    1. Região Papilar ou Derme Superficial: é onde estão dispostas as células e os feixes de fibras colágenas delgadas dispostas verticalmente.
    2. Região Reticular ou Derme Profunda: está entre a região papilar e a hipoderme, sendo formada por feixes de colágeno mais espessos e dispostos horizontalmente.
    3. Derme Adventicial: está distribuída em torno dos folículos pilo-sebáceos, glândulas e vasos sendo formada por feixes delgados de colágeno.

    A substância fundamental é constituída por um gel de mucopolissacarídeos ácidos, as fibras colágenas representam 70% da derme, as fibras elásticas estão misturadas com as colágenas e apresentam alto grau de distensibilidade enquanto que as colágenas são fibras mais resistentes, as fibras reticulares são constituídas também por colágeno.
    Os três tipos de fibras formam uma trama na derme sendo responsáveis pelas funções de distensão e resistência que a pele apresenta.
    Na derme estão presentes os vasos sangüíneos e linfáticos. As principais células da pele são as células mesenquinais, os fibroblastos, os histiócitos e mastócitos. Os fibroblastos são células fusiformes e estreladas responsáveis pela síntese das fibras colágenas, elásticas e reticulares. Os histiócitos são células fagocitárias que participam do processo de defesa da pele.

    Hipoderme ou Tecido Subcutâneo

    É a camada mais profunda da pele formada por células adiposas que se agrupam em lóbulos delimitados por septos de colágeno com vasos sangüíneos. Os adipósitos são células volumosas que contém em seu citoplasma grande quantidade de lipídeos representados por triglicerídeos, colesterol, vitaminas e água. Este tecido além de representar reserva energética, protege o organismo contra choques atuando ainda como isolante térmico.

    Inervação da Pele

    A pele apresenta-se ricamente inervada sendo constituída por inúmeras terminações nervosas provenientes da medula espinhal cuja função é captar os diferentes estímulos provenientes do meio exterior como sensações de calor, frio, pressão, dor, etc. As sensações tátil, dolorosa e térmica são atribuídas a certos corpúsculos nervosos presentes na pele havendo diferenças de sensibilidade em áreas como nariz, lábios e pontas dos dedos que são mais sensíveis e tronco e regiões plantares que são menos sensíveis. A sensibilidade térmica adapta-se facilmente aos estímulos, ou seja, a mudança de frio para calor, por exemplo, é captada como uma grande diferença que aos poucos vai se reduzindo. As sensações de dor são transmitidas por delicadas fibras sensitivas medulares e amedulares. Os corpúsculos de Ruffini são numerosos na superfície plantar e estão relacionados à sensibilidade calórica e os corpúsculos de Krause destinam-se à sensibilidade ao frio.

    Fisiologia da Pele

    A pele exerce funções diversas e tem por objetivo básico manter o equilíbrio com o meio exterior garantindo a manutenção vital do meio interior do organismo humano. Entre as principais funções da pele estão:

    1. Proteção: a pele protege o organismo contra as agressões do meio externo apresentando resistência relativa aos agentes mecânicos como nos traumatismos devido à sua elasticidade conferida graças à presença do colágeno e elastina. A proteção também se realiza através do sistema melânico que impede a agressão da pele pelas radiações ultra-violeta. Além disso a camada córnea garante a sua relativa impermeabilidade à água e aos eletrólitos mantendo dessa forma o equilíbrio hidroeletrolítico. Ainda observamos a proteção físico-química devido à manutenção do pH ácido (5,4 a 5,6) na camada córnea. O manto hidrolipídico apresenta atividade antimicrobiana, a epiderme e a derme tem papel imunológico através da atuação das células de Langerhans, dos macrófagos, linfócitos e mastócitos.
    2. Percepção: as terminações nervosas presentes na derme fornecem ao organismo humano sensações especiais como o calor, frio, dor e tato o que direciona o indivíduo a optar por alguma situação que lhe traga mais conforto e proteção à sua sobrevivência.
    3. Termorregulação e Hemorregulação: como a pele apresenta extensos plexos vasculares corações periféricas chamados “glomos” ela tem a possibilidade de manter e regular o débito circulatório. Dependendo das condições circulatórias o aumento do débito sangüíneo periférico é suprido pela atividade dos “glomos” e pela participação de outros vasos sangüíneos. As glândulas sudoríparas écrinas tem um papel especial no mecanismo de termorregulação porque aumentam a saída de líquidos e permitem uma maior evaporação de calor
    4. Secreção: existem várias substâncias produzidas pela pele como queratina, melaninas, suor, sebo que desempenham diversas funções importantes.
    5. Excreção: as glândulas sudoríparas écrinas produzem o suor composto por água e eletrólitos auxiliando no processo de eliminação de excretas.
    6. Metabolização: a pele auxilia na metabolização de hormônios como testosterona, estrógenos, progesterona e glicocorticóides e fabrica e metaboliza a vitamina D.