Revitalização Cutânea por Microcorrentes

Revitalização Cutânea por Microcorrentes
28 de janeiro de 2010 AlexKB

Sabemos que a pele apresenta uma estrutura composta por três camadas que são epiderme, derme e hipoderme. Estas camadas são constituídas por elementos característicos como células, fibras, capilares sangüíneos inervações, glândulas com funções ou atividades específicas de forma a proporcionar à pele perfeitas condições de funcionamento e de manutenção contra agressões.

No entanto, existem situações em que se observam alterações que acarretam reflexos graves modificando não somente o metabolismo como a estrutura da pele em si.
Podemos citar como alterações estruturais da pele a formação de um quadro acneico, de dermatoses por diversas causas, de micoses provocadas por fungos, de queimaduras, de processos alérgicos, de tumores variados, etc.
O envelhecimento ou involução cutânea também se caracteriza por modificações estruturais da pele assim como no quadro acneico onde também existe contaminação por bactérias.
Na involução cutânea observa-se uma redução da elasticidade da pele e do número de fibroblastos. A pele se torna mais fina devido à diminuição da síntese de colágeno e desorganização na distribuição das fibras colágenas, reticulares e elásticas. A coloração sofre mudanças tornando-se mais pálida e a emulsão epicutânea natural da pele se reduz como conseqüência da diminuição da atividade das glândulas sudoríparas e sebáceas.
Quanto ao sistema circulatório notamos retardo no processo de drenagem veno-linfática com formação de teleangectasias.
No quadro acneico instala-se um processo inflamatório e infeccioso onde surgem comedões, pápulas, pústulas e cistos chegando até ao aparecimento de abscessos. A pele que inicia este quadro com intensa seborréia apresenta-se contaminada por bactérias da flora normal que são responsáveis pelo surgimento do processo infeccioso e pela formação de pápulas, pústulas e abscessos.

A pele acneica encontra dificuldade em combater as bactérias causadoras desta infeção porque apresenta pouca imunidade, ou seja, a taxa de anticorpos na pele é baixa se compararmos com a de um indivíduo normal. Além disso o processo de cicatrização é mais lento, a reação inflamatória que acompanha o quadro é de difícil combate e observa-se congestão sangüínea por dificuldade do retorno veno-linfático, principalmente nos indivíduos que apresentam tendência a ruborizar a face por algum tipo de problema emocional (stress, tensão) quando nota-se, então, uma instabilidade vasomotora.

Tendo em vista estes detalhes característicos dos processos de involução cutânea no envelhecimento orgânico e do quadro acneico a atuação das microcorrentes proporciona diversos benefícios aos tratamentos estéticos.
Aplicação das Microcorrentes na Involução Cutânea
O emprego das microcorrentes como um recurso de revitalização cutânea tem os seguintes objetivos importantes:
  • ativar o metabolismo celular e tecidual;
  • melhorar o tônus tecidual e muscular;
  • acelerar a função dos fibroblastos quanto à síntese de fibras colágenas, elásticas e reticulares;
  • intensificar a circulação veno-linfática;
  • acentuar o mecanismo de drenagem linfática reduzindo a formação de edemas
    Atuação das Microcorrentes no Quadro Acneico
    No processo acneico, as aplicações das microcorrentes devem ser realizadas após a fase de descontaminação da pele.
    Neste quadro os objetivos de uso das microcorrentes são ativação do processo de cicatrização, energização dos tecidos com conseqüente incremento do metabolismo e aumento do mecanismo de defesa imunológica da pele, além da acentuação da drenagem veno-linfática.
    Como na pele acneica observamos uma congestão sangüínea muitas vezes perceptível por certa ruborização, a influência das microcorrentes proporciona um efeito de descongestão e atua como antiinflamatório.
    Aplicação das Microcorrentes no Pré e Pós-Cirúrgico
    Antes da cirurgia plástica é importante o preparo da pele quanto aos aspectos de hidratação, nutrição e elasticidade que beneficiam o momento cirúrgico tanto favorecendo a atuação do médico como o próprio paciente.
    A aplicação das microcorrentes pode ser feita em 10 sessões antes da cirurgia em uma ou duas aplicações semanais. Podem ser associados produtos cosméticos ionizáveis com princípios ativos hidrantes e nutritivos nesta fase de pré-cirúrgico.
    Após a cirurgia as microcorrentes podem ser utilizadas como auxiliares no processo de redução de edemas e hematomas e ainda como elemento de ativação do processo de cicatrização.
    Primeira Etapa
    Promovendo a Movimentação dos Fluídos Vitais
    Utilizando os Terminais de Inserção, com bastonetes descartáveis embebidos em produto cosmético, inicie a primeira etapa da sessão.
    Inicie a sessão, utilizando os terminais de inserção, com bastonetes embebidos em produto cosmético, pela região supra clavicular, posicionando os bastonetes em paralelo e de forma ascendente, movimente-os até a região mandibular, sempre de forma lenta. Repita o movimento até completar a circunferência de toda a região cervical anterior (pescoço).
    Movimente os bastonetes em paralelo e de forma ascendente, por toda a região mentual
    Movimente os dois bastonetes horizontalmente e em paralelo epor toda a região do mento, repita a operação do outro lado.
    Fixe um bastonete na região do músculo depressor do ângulo da boca e movimente o outro por toda a região nasogeniana.
    Movimente conjuntamente os bastonetes em paralelo, iniciando na região da mandíbula até alcançar a metade da face.
    Movimente os bastonetes em paralelo a partir da metade da face até a região do músculo orbicular dos olhos (pálpebra inferior).
    Percorra a pálpebra inferior, utilizando os bastonetes em paralelo, iniciando o movimento pelo lado externo dirigindo-se ao interno, de forma lenta.
    Com os bastonetes em paralelo movimente-os de forma a percorrer a pálpebra superior, desde a parte externa até alcançar a interna.
    Movimente os bastonetes em paralelo, intercalados pelo supercílio, desde a região externa até a interna.
    Movimente os bastonetes em paralelo, formando um leque desde a lateral externa dos olhos até o início do couro cabeludo.
    Faça um semicírculo imaginário entre os supercílios e vá movimentando os bastonetes em paralelo sobre o mesmo por toda a região frontal, formando um leque.