Técnica de Ionização Corporal m Linfática e Estimulação Muscular na Estética

Técnica de Ionização Corporal m Linfática e Estimulação Muscular na Estética
28 de janeiro de 2010 AlexKB

Corrente Galvânica:

A corrente galvânica respeita a integridade da pele. É do tipo contínua, com sentido único, onde as polaridades de seus condutores apresentam sentido uniderecional. Pode ser utilizada para a ionização, um auxílio na penetração de princípios ativos através da pele. Ocorre um aumento na permeabilidade das membranas citoplasmáticas das células, possibilitando a melhor movimentação de líquidos e conseqüentemente de partículas que estão dispersas nestes líquidos, intensificando as trocas metabólicas.

Os íons das substâncias medicamentosas penetram através dos folículos pilosebáceos e glândulas sudoríparas. Por este processo as substâncias químicas passarão pelos interstícios celulares. No caso da celulite, os íons se fixarão a nível de moléculas protéicas no tecido conjuntivo, onde exercitará a ação anticelulítica, e o restante será arrastado pela circulação veno-linfática. A penetração de produtos na forma de íons, depende de três fatores, como o tamanho da partícula, a carga do íon e a intensidade da corrente aplicada.

A ionização praticada pela estética tem como objetivo facilitar a penetração cutânea das substâncias cosméticas que contribuem para manter o tecido epidérmico. A prática da ionização é muito utilizada para a penetração dos ativos “cosméticos de profundidade”.

Os íons liberados pelas propriedades ionizantes, com o uso da corrente elétrica, são levados pela corrente através do organismo. A corrente galvânica causa hiperemia cutânea pela vasoestimulação direta.

Quanto maior a distância entre os eletrodos, menor será o campo elétrico estabelecido entre eles. Quanto maior distância menor força. Portanto, tende-se a colocar os eletrodos mais próximos possíveis na mesma região, deixando de 1 a 2 centímetros de distância entre os chamex. Isto é muito válido quando falamos em equipamentos que possuem somente duas placas, uma de pólo positivo e uma de pólo negativo, sendo que eu só tenho essas duas para fechar o campo elétrico.

Em equipamentos que possuem 4 placas, 2 de pólos negativos e 2 de pólos positivos, eu tenho a opção de fechar o campo elétrico entre as 4 placas, ou dar distância entre os pares de placas, fechando o campo entre 2 placas (pólo + e pólo-) em uma região e 2 placas na outra. A distância entre os pares, se bem grande, causa um desligamento entre elas, trabalhando regiões diferenciadas. É uma opção no caso de possuir poucos canais para várias regiões.

Queimaduras:

O mal uso de um equipamento elétrico ou o erro na aplicação do tratamento, pode levar a inconvenientes que podem chegar a serem muito sérios, como as queimaduras. Tanto as queimaduras químicas como as elétricas são sempre causadas pelo mal uso do equipamento, sendo que a corrente galvânica, se bem utilizada pelo operador, só trará benefícios. Os riscos ficam por conta da habilidade do profissional. Abaixo relacionamos dois tipos de queimaduras que podem se tornar presentes.

Queimadura Elétrica:

Ocorre esse tipo de queimadura quando há uma passagem excessiva de corrente, não tolerada pelo paciente. Isso pode ser notável ao longo de uma sessão, onde não se observa somente uma hiperemia suave, mas já o surgimento de vermelhidão excessiva. Neste caso, não se trata de uma reação do organismo ao ativo ionizado, mas sim a agressividade com que a intensidade exagerada causa na pele. Normalmente a manifestação alérgica do organismo às substâncias ionizáveis, se manifestam com pontos de maior ou menor vermelhidão.

Queimadura Química:

Esse tipo de queimadura independe da intensidade de corrente utilizada, pois ocorre por contato direto entre uma parte metálica do equipamento com a pele. Isso poderia acontecer por descuido e má adaptação dos eletrodos na região. Ocorre uma reação química na região de contato com a água do chamex (que contém sal) provocando uma queimadura na pele.

Contra Indicações:

Existem alguns casos em que não devemos utilizar o ionizador corporal, por se tratar de corrente galvâncica que pode ser muito prejudicial em muitos casos. Abaixo relacionamos algumas delas.

A. Gestantes. Uma das principais situações que é contra-indicação para o uso da eletroterapia são as gestantes, podendo até acarretar um aborto provocado pela ação da corrente. No caso de técnicas de corrente farádica ou galvânica, mesmo faciais, a corrente pode trazer conseqüências ao feto, até mesmo malformações.

B. Cardiopatias, Hipotensão, Hipertensão, Marcapasso e Menstruação. O uso da corrente facilita tanto o retorno venoso quanto à circulação sanguínea e linfática, aumentando o fluxo de líquidos. Esse aumento do fluxo sanguíneo pode ser desagradável no período de menstruação, como pode ser prejudicial nos casos patológicos cardíacos.

C. Neoplasias. Todos sabemos que os casos de neoplasias se tornam mais progressivos com a presença de sangue com nutrientes. O uso das correntes aumenta a velocidade da circulação sanguínea, o que no local do tumor alimenta-o com maior intensidade, podendo fazer com que se desenvolva mais rapidamente.

D. Placas Metálicas (próteses metálicas). Materiais metálicos são fortes condutores de calor e de eletricidade, por isso qualquer corrente aplicada sobre placas metálicas, intensifica a passagem da corrente, além do efeito térmico interior que pode causar sérias queimaduras.

E. Lesões de Pele. A pele é uma potente barreira para a passagem da corrente elétrica, diminuindo seu poder de condução. Qualquer patologia que lese essa barreira intensifica a passagem da corrente causando incômodos e possíveis lesões.

Ionizador Corporal CK 012:

A CK desenvolveu um equipamento para a realização da ionização corporal que traz ótimos resultados na estética. Ele possui 3 canais de 4 placas cada canal, totalizando 12 placas que podem ser utilizadas para os tratamentos de várias regiões ao mesmo tempo.

Para a aplicação da técnica de ionização corporal utilizamos chamex umedecidos em água. Nessas esponjas espalhamos o cosmético de forma homogênia, com o auxílio de uma seringa. O chamex umedecido auxilia na passagem da corrente ao organismo, sem danificar as placas de borrachas que devem sempre estar íntegras e com boa condução de corrente.

No local afetado pela gordura localizada e/ou pela celulite são aplicadas quatro placas redondas com dois polos positivos e dois polos negativos, que vão agir em conjunto. Aplicamos o produto nas quatro placas.

A seleção da polaridade no equipamento é utilizada de acordo com a polaridade do produto, ou seja, se o produto for negativo, deixe o equipamento na polaridade positiva (que fará com que as placas funcionem como pretas negativas e vermelhas positivas), sabendo-se que o produto está sendo ionizado no local de colocação das placas pretas, por no máximo 10 minutos. Após este tempo, invertemos a polaridade no equipamento, onde as placas vermelhas passarão a ser negativas, sabendo que neste momento a região ionizada é a de placas vermelhas.

Pode-se também utilizar 2 produtos ionizáveis ao mesmo tempo com polaridades diferentes, deixando-se em torno de 10 minutos, sem a necessidade de inverter a polaridade no equipamento. Neste caso, aplicamos o produto positivo nas placas vermelhas e o produto negativo nas placas pretas, sabendo-se que ao mesmo tempo os produtos estão sendo ionizados nas regiões das quatro placas.

Normalmente, o produto ionizável é aquoso, podendo ter o aspecto de gel, e contém princípios ativos que vão atuar sobre a celulite e a gordura localizada.

Referências Bibliográficas:
Kitchen, S e Bazin, S – Eletroterapia de Clayton – Ed. Manole – 10a. edição – 1996 – São Paulo – SP
Sanchez, César F. – Celulitis – Su tratamiento medico y cosmetologico – 3a. Edição – Ed. Celcius – 1992 – Buenos Aires.
Verardo, M – Iontoforesis – Conocimientos generales – Ed. Artes – 1996 – Buenos Aires.

Perla Garcia Martins
Fisioterapeuta Crefito 3215F
Departamento técnico da CK